Cidadania Jovem capacita monitores em Pedreira

 em General

A equipe pedagógica do Cidadania Jovem realizou, no último final de semana, a capacitação presencial dos interessados em atuar como monitores do projeto com adolescentes que vivem em situação de vulnerabilidade social em Pedreira (SP).  O evento foi na Câmara dos Vereadores e teve uma adesão surpreendente: mais de 50 inscritos, entre eles estudantes universitários e profissionais de nível superior em busca de novos conhecimentos.

O trabalho começou na noite de sexta-feira (15) e se estendeu por todo o sábado (16), totalizando 12 horas. Para começar, as pedagogas Maria Helena Nogueira de Sá, Maria Helena Pereira Dias e Cláudia Chebabi apresentaram o projeto, que tem o objetivo de contribuir para a formação integral de adolescentes de 12 a 15 anos de idade e é desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa e Apoio ao Desenvolvimento Social (Ipads), em parceria com a Bayer e com apoio do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Depois, ao longo da capacitação, falaram sobre o que é a adolescência e as mudanças físicas e psicossoais que surgem nessa fase da vida, trazendo a discussão sobre a relevância do papel do educador na transferência de valores fundamentais ao cidadão, as resoluções de conflitos e as formas de condução das oficinas, que devem ser dinâmicas e prazerosas para manter o interesse dos adolescentes e permitir o exercício de vivências que promovam o protagonismo juvenil.

Os participantes formaram grupos, trocaram ideias e apresentaram projetos de oficinas de trabalho para a equipe pedagógica, que agora fará uma avaliação cuidadosa da participação de cada um para montar o banco de monitores de Pedreira. “Foi muito bom, eles se envolveram bastante, a parte prática respondeu bem à parte teórica. São jovens interessados e criativos, tiveram ideias inesperadas”, diz a pedagoga Maria Helena Pereira Dias.

Como o projeto terá duração de 10 meses, com oficinas para os adolescentes todos os sábados, os monitores serão chamados aos poucos, de acordo com a disponibilidade de cada um e as características do trabalho que pretendem desenvolver. Os monitores terão ainda mais duas capacitações de 20 horas cada uma na modalidade de Educação a Distância, além de acompanhamento e avaliações periódicas ao longo de todo o projeto.

 

 

 

Experiências

Logo que soube da capacitação, o estudante e estagiário em Psicologia Artur Versuri tratou de se inscrever. “Vou começar a desenvolver um projeto voltado aos adolescentes e para mim seria muito gratificante começar a trabalhar com esses jovens desde já”, afirmou. Mesmo sem a certeza de que será chamado para conduzir as oficinas, ele gostou de participar: “Foi muito interessante poder testar meus conhecimentos a respeito dos adolescentes e aprender muito mais, ampliar meus horizontes e ouvir opiniões diferentes”.

Para a assistente social Ana Paula Cremasco, as famílias de Pedreira estão sendo presenteadas pelo projeto, voltado a uma faixa etária onde é gritante a necessidade de atenção. “É uma faixa difícil de ser trabalhada porque é a fase de transição de personalidade, de mundo. Os adolescentes saem da casinha para conhecer outras esferas, o que a mãe fala o amigo distorce, então eles devem ser preparados para esse novo mundo. Esse projeto vem complementar o que a cidade precisa, é um momento fantástico!”.

Mesmo com experiência na área, ela também diz que aprendeu. “Tem coisas que a gente relembra, outras aprende a fazer diferente. E vai levar isso como experiência profissional e de vida também, como mãe e educadora”, completou.

Encarregado de atrair os adolescentes para o projeto e coordenar o trabalho dos monitores em Pedreira, o psicólogo Leandro de Moura Godoy comentou os resultados da capacitação: “Gostei do número e da qualidade dos participantes. Com certeza o projeto fará toda a diferença não só para os adolescentes que serão beneficiados, mas também para os monitores, porque essa formação é uma experiência que vai se multiplicar.”

 

 

Empenho

O Cidadania Jovem será desenvolvido em outros quatro municípios brasileiros. Demerval Lobão, no Piauí, e Cascavel, no Paraná, já confirmaram a adesão. As prefeituras contribuem cedendo espaço físico para as oficinas e alimentação para os participantes.

Em Pedreira, as autoridades se mostram empenhadas no projeto. Além do presidente da casa, Jayro Gouveia Goulart Filho, estiveram na Câmara, durante a capacitação, os titulares das secretarias municipais de Saúde, Ana Lúcia Nieri Goulart, e da Promoção Social, Alessandro Godoy.

Na tarde de sábado, o prefeito Hamilton Bernardes Júnior acompanhou boa parte dos trabalhos, falou sobre os desafios do projeto e desejou sucesso aos monitores. “Há muita falta de esperança na sociedade. Precisamos mostrar caminhos, dar expectativas e sonhos para o desenvolvimento dos jovens, para a felicidade das pessoas. Esse projeto é só um primeiro passo, mas vai se multiplicar e pode transformar muitas vidas”, avaliou.

 

 

 

Publicações Recentes